sábado, 6 de junho de 2009

VIAGEM ÀS ORIGENS

No dia 20 de julho de 2000, saí de Barcelona, em trem, com destino a Milão, Itália. Destino “intermediário”, pois minha meta era chegar a Maser, de acordo com o passaporte de Sante Garbuio, cuja cópia consegui aí em Curitiba.

Fui com um colega de trabalho, meu amigo, que sabe italiano e, como também estava de férias, aceitou me acompanhar para me ajudar no “meu projeto”.

Já tinha visto na Internet onde fica Maser. É na província de Treviso, perto de Asolo, na região Veneto. É um povoado, com menos de 5.000 habitantes.

Chegamos em Milão no dia seguinte, 21 de julho. Ficamos aí até 2ª feira, dia 24. Nesse mesmo dia fomos para Treviso, a capital da província de igual nome. Esta sim, é uma boa cidade, de cerca de 90 mil habitantes, e que, especialmente pelo comércio, se mostra uma cidade rica.

No hotel, deram-nos as “dicas” para ir a Maser. Ônibus.

No dia seguinte, 25 de julho, cedinho, pegamos o ônibus para Maser, a cerca de 40 minutos de Treviso.

Descemos perto da Prefeitura. Como era cedo, estava fechada. Fomos ao bar que fica em frente da Prefeitura. Forasteiro é coisa rara em Maser; por isso, percebendo, a curiosidade do dono do bar pela nossa presença, falei-lhe sobre o motivo de minha viagem. Ao dizer-lhe que me chamo Garbuio, ele me disse que, exatamente atrás do bar, há uma oficina mecânica de um Garbuio. Fomos procurar o possível parente... Chama-se Adriano, é irmão de Luigi Garbuio, Assessor de Cultura e Turismo do Município (veja página web onde ele aparece: http://www.comune.maser.tv.it/amministrazione.html).
Conversando, chegamos à conclusão de que não somos parentes, pelo menos próximos. Ele falou que há outra família Garbuio, um pouco fora do centro de Maser... Talvez os parentes estejam aí, mas eu não sabia como ir buscá-los, sobretudo porque não dispunha de transporte próprio. Quem sabe se ainda não tento localizá-los?



Prefeitura de Maser

Maser
Província de Treviso, na região Veneto, Itália


Obra-prima do Renascimento Veneziano, a Villa Barbaro, em Maser, incluída em 1996 na lista de Patrimônio da Humanidade, da Unesco, deve o seu esplendor ao gênio de Andrea Palladio (1508-80), que a realizou por volta de 1555 para os patrícios venezianos Daniele e Marcantonio Barbaro, aos pés das doces colinas de Asolo.

Um comentário:

iub47 disse...

Meu caro amigo OSIRES!


Fico satisfeito por encontrar algo seu na rede. Afinal, amigos não se esquece.

Abraços do já meio velho IRAÇU.

ira_borba@hotmail.com